Home
Del-1, um "porteiro" que mantém as células inflamatórias prejudiciais para fora do sistema nervoso central, pode desempenhar um papel importante na esclerose múltipla-EM
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

03 de dezembro de 2014

 

Conhecimento Prévio

A inflamação do sistema nervoso central (SNC) na EM é responsável pelos danos na bainha de mielina que circunda as fibras nervosas. Estes, por sua vez, prejudicam a capacidade de os nervos comunicarem-se uns com os outros, levando a uma série de sintomas neurológicos experimentados por indivíduos afetados. A barreira hemato-encefálica normalmente age como um portão que mantém as células e moléculas inflamatórias prejudiciais para fora do SNC. Uma molécula, em particular, uma citocina chamada interleucina-17 (IL-17), podem promover uma resposta inflamatória muito forte ao se infiltrar no SNC. Invasão inapropriada da IL-17 e de outros fatores imunes no SNC têm demonstrado ser um passo fundamental para o desenvolvimento da EM.

 

Em um estudo publicado este mês na revista Molecular Psychiatry, uma equipe de pesquisadores explorou o papel do fator endotelial de desenvolvimento anti-inflamatório locus-1 (Del-1) como um potencial "porteiro", que impede que as células inflamatórias entrem e danifiquem o CNS. Em um estudo anterior, este grupo de pesquisa mostrou que Del-1 pode proteger contra periodontites - uma doença inflamatória associada com o envelhecimento -, opondo-se as ações de moléculas inflamatórias como IL-17. Estes resultados levaram a especular que a Del-1 também pode ser um forte candidato para neutralizar a inflamação prejudicial na EM.

O estudo

Neste estudo elegante, os autores testaram os efeitos de Del-1 sobre a gravidade da doença e da inflamação em ratinhos com uma doença semelhante à EM. Especificamente, eles queriam descobrir se os níveis mais baixos e a subsequente atividade reduzida de Del-1 era associada com a EM.

Em primeiro lugar, para determinar a relação entre Del-1 e EM, os pesquisadores mediram os níveis de Del-1 na medula espinhal de ratos com a doença semelhante à EM e comparou-os aos ratos saudáveis. Para desligar Del-1, os autores produziram camundongos com knockout genético e comparam-nos aos seus irmãos de ninhada que tinham um gene Del-1 em funcionamento. Para avaliar as mudanças na gravidade da doença, eles mediram a quantidade de desmielinização (deterioração da bainha de mielina) e os danos às fibras nervosas. Eles também examinaram como a ausência de Del-1 afetou a inflamação, incluindo os níveis de IL-17, quebra da barreira hemato-encefálica e a infiltração de células imunes no SNC. Seu objetivo final era ver se os ratos que apresentavam sintomas semelhantes a uma forma remitente-recorrente de EM poderiam sofrer menos surtos depois de serem tratados com uma forma injetável de Del-1.

Resultados

Os autores verificaram que a quantidade de Del-1 no sistema nervoso central foi significativamente inferior em ratos com doença semelhante à EM em comparação com os ratinhos normais, o que sugere que a redução da Del-1 pode estar ligada à EM. Quando Del-1 foi experimentalmente desligada, tanto a gravidade da EM quanto a inflamação foram agravadas, com um aumento da lesão do nervo, os níveis mais elevados de IL-17, danos na barreira hemato-encefálica e a infiltração de células imunes não reguladas no SNC. Estes resultados revelam que a Del-1 normalmente protege contra a inflamação prejudicial vista numa doença como a EM. Para testar esta hipótese, os investigadores injectaram Del-1 nos ratos com EM, o que reduziu a gravidade dos sintomas da doença.

Comentário

Atualmente, existe uma outra terapia disponível para EM (chamada Tysabri®) que funciona para manter as células imunes prejudiciais para fora do SNC, especificamente, utilizando anticorpos para bloquear a interacção entre estas células imunitárias e a barreira hemato-encefálica. Os resultados deste estudo aumentam esse conhecimento e reconhecem a natureza anti-inflamatória inerente de Del-1, o qual atua como um "porteiro" que protege o SNC da infiltração de células imunitárias. O estudo mostra também que um declínio na função de Del-1 pode ser um fator de risco para a EM, e que a substituição de Del-1 em ratos que apresentam uma condição como a EM pode reduzir mais recidivas, semeando, assim, sementes para uma nova abordagem terapêutica para o tratamento de pessoas com EM no futuro.

Fonte

Choi EY et al. Desenvolvimento endotelial lócus-1 é um fator homeostático no sistema nervoso central limitando a desmielinização e a neuroinflamação. Mol Psychiatry. 2014 [Publicação eletrônica antes da impressão]

Extraído de https://beta.mssociety.ca/research-news/article/del-1-a-gatekeeper-that-keeps-harmful-inflammatory-cells-out-of-the-central-nervous-system-may-play-an-important-role-in-ms

Curte, compartilha e comenta na nossa Fanpage no Facebook!