Home
Email aberto à Secretaria da Saúde do Estado
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Abaixo o email enviado pela Agapem à Secretaria de Estado da Saúde aos diretores da assistência farmacêutica:
Data: quarta-feira, 15 de julho de 2015 17:50

Prezados Eduardo, Patrícia e Elson,
em julho agora, foi lançada recomendação pela CONITEC, ligada ao Ministério da Saúde e integrante da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, em que propõe o retrocesso no tratamento da esclerose múltipla, de exclusão do AVONEX dos medicamentos dispensados gratuitamente pelo SUS.
Ela está promovendo consulta pública e vemos ela como uma oportunidade para que a Secretaria da Saúde do Estado manifeste-se em favor da manutenção do medicamento no SUS.
O formulário para preenchimento, inclusive por secretarias de saúde, é esse. http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=21160
Nós como Associação Gaúcha dos Portadores de Esclerose Múltipla vemos essa exclusão como um retrocesso social, tendo em vista que o medicamento vem sendo usado há mais de 10 anos no Brasil, com eficácia equivalente a outros medicamentos de primeira linha no tratamento da esclerose múltipla, como Copaxone e outros. Nos EUA e Europa, vem sendo feitos estudos de nível IV, de mais de 15 anos de acompanhamento de pacientes no uso de Avonex, o que demonstra a sua eficácia, segurança e aderência ao tratamento.
Além disso, possuímos 342 pacientes no Estado do Rio Grande do Sul fazendo uso do medicamento, mediante acesso administrativo, com compra do medicamento feita pelo Ministério da Saúde, o que sabemos que melhorou e muito a distribuição e a existência do medicamento para distribuição ao portador que, antes, ficava à mercê dos combalidos e escassos recursos do RS. Além disso, com a compra feita pelo MS, basta que a SES e a Farmácia do Estado tenham organizados quem e onde estão os usuários do medicamento, o que facilitou bastante o acesso aos medicamentos como um todo.
Pois bem, a exclusão do medicamento Avonex da lista de medicamentos dispensados pelo SUS gerará uma avalanche de ações judiciais pleiteando o medicamento que permanecerá na lista de medicamentos liberados pela ANVISA. Médicos e pacientes não aceitarão alterar uma medicação que vem funcionando e que mantém a saúde e a qualidade de vida do paciente.
Dessa forma, considerando que mensalmente o custo para o governo é de aproximadamente R$ 3.065,00 por caixa, o custo anual chegará a aproximadamente R$ 12.580.000,00, que onerará ainda mais o já referido inexistente recurso estadual para compra.
A manutenção do medicamento Avonex na lista dos medicamentos dispensados pelo SUS, além de um clamor dos pacientes que vem fazendo uso do remédio com excelentes benefícios e para quem a eficácia tem sido de 100%, é de extrema importância financeira para o Estado do Rio Grande do Sul e uma forma de evitar o retrocesso no tratamento dessa doença sem cura e que já possui tão poucos remédios disponíveis para tratamento.
A Agapem tem, além dessas considerações, outras importantes e que dizem mais com relação ao estudo apresentado pela CONITEC em si, mas que podem subsidiar um debate mais aprofundado do tema, levando em consideração a forma como o estudo e a recomendação foram gestados.
A Agapem coloca-se à disposição para o debate do tema, lembrando que a consulta pública e as contribuições da sociedade e das secretarias de estado serão aceitas até o dia 20/07/2015.
Atenciosamente,
Associação Gaúcha dos Portadores de Esclerose Múltipla – Agapem.

Curte, compartilha e comenta no Facebook.