Home
Pessoas com esclerose múltipla podem enfrentar testes tão difíceis quanto cruzar um oceano
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Mensagem de superação atravessa o mar em regata. Veleiro Class 40 deve chegar entre dias 15 e 22 de novembro a Itajaí (SC)

A cidade de Itajaí (SC) está recebendo este mês a Transat Jacques Vabre, considerada a maior travessia transatlântica do mundo, que reúne os principais velejadores de oceano da Europa e outros ícones da modalidade, como o campeão olímpico brasileiro Eduardo Penido.


Dentre os barcos participantes da competição, se destaca o Solidaires En Peloton – SEP, embarcação que tem como referência o nome da esclerose múltipla em francês: a “Sclérose En Placas”. O SEP é patrocinado pela Arsep, Fundação de Esclerose Múltipla da França, junto com a Genzyme, unidade de biotecnologia do grupo Sanofi.  O barco compete na Class 40, categoria que permite manter dimensões mais humanas e, ao mesmo tempo, uma linha de desempenho sempre em crescimento, exigindo dos atletas excelente condicionamento físico.

Para os velejadores Thibaut Vauchel-Camus e Victorien Erussard, a Transat Jacques Vabre é a grande meta de 2015. “Nós vamos lutar com a mesma vontade, com audácia e força. Queríamos dar uma verdadeira dimensão cívica para nosso projeto desportivo. E é com humildade e compromisso que fazemos do nosso barco um verdadeiro megafone para sensibilizar o maior número possível de pessoas sobre a esclerose múltipla e dar esperança aos pacientes afetados por essa doença”, afirma Vauchel-Camus. O mar é um ambiente que duplica dificuldades, assim como são os desafios que as pessoas com esclerose múltipla enfrentam todos os dias. Coragem e solidariedade constituem os motores de pessoas lutando contra a doença, e são necessárias em todo bom marinheiro. Thibaut e Victorien reconhecem esse desafio, assim como sabem que o SEP é um meio adicional de promoção para sensibilizar o público para a esclerose múltipla.

Em 2015, os dois capitães celebram 20 anos de amizade, com cumplicidade, experiência, coragem e muita vontade – ingredientes para brilhar na Transat Jacques Vabre e levar, além da medalha, conhecimento sobre uma doença que afeta mais de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo.

Ainda pouco conhecida, a esclerose múltipla é incurável e afeta mais de 90 mil pessoas na França. No Brasil, esse número chega a 35 mil. É uma doença neurológica inflamatória, degenerativa, crônica e autoimune que atinge o sistema nervoso central (cérebro e medula), e acomete jovens, em especial, mulheres de 20 a 40 anos. Os sintomas mais frequentes da doença são dormência, perda de visão, vertigem, fraqueza, falta de equilíbrio, espasmos musculares, problemas sexuais e incontinência urinária. O tratamento da enfermidade pode ajudar a controlar os sintomas e reduzir seu progresso. No Brasil, existem várias opções de terapias que possibilitam ao portador da doença levar uma vida mais próxima da normalidade.

Para acompanhar a regata em tempo real entre no site do evento http://www.transat-jacques-vabre.com/br. O evento ocorre até o dia 22 de novembro, em Itajaí, Santa Catarina.