Home
Resultados controversos de um novo estudo de vitamina D

Nova pesquisa não demonstra associação entre níveis crescentes de vitamina D no sangue e redução da inflamação na esclerose múltipla (EM) recorrente-remitente.

Estudos observacionais têm sugerido que a vitamina D pode reduzir a inflamação na EM remitente-recorrente, mas isso não foi claramente confirmado em ensaios clínicos randomizados. Para explorar ainda mais os possíveis efeitos anti-inflamatórios de vitamina D, os investigadores da Noruega examinaram o efeito de alta dose oral de vitamina D (20,000UI/semana) em onze marcadores sanguíneos de inflamação em 68 pessoas com EMRR. Embora o suplemento oral mais do que duplicou o nível médio de vitamina D no sangue, ele não teve um efeito significativo sobre a inflamação quando comparado com placebo. Esses resultados não confirmam uma associação entre o aumento dos níveis de vitamina D no sangue e a redução da inflamação em EM recorrente-remitente, como proposto anteriormente por outros estudos. No entanto, os pesquisadores não podem excluir que a suplementação de vitamina D3 possa afetar outros marcadores relevantes não mensurados em sua pesquisa. Leia o artigo completo (site externo é aberto em uma nova janela).

Fonte: Federação Internacional de Esclerose Múltipla (MSIF) - http://www.msif.org/news/2016/01/05/controversial-results-from-a-new-vitamin-d-study/

Curte, compartilha e comenta no Facebook!